6 de maio de 2021

Brasil

Corpo do ator Paulo Gustavo é cremado em Niterói (RJ) em cerimônia restrita a familiares e amigos próximos

O corpo do ator Paulo Gustavo foi cremado no cemitério Parque da Colina, em Niterói, cidade onde o ator nasceu e cresceu na região metropolitana do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (6).

Paulo Gustavo morreu na última terça-feira (4) por complicações decorrentes da Covid-19 após 53 dias internado em um hospital particular de Copacabana, no Rio de Janeiro. Ele deixou o marido, o médico Thales Bretas, e dois filhos de 1 ano, Romeu e Gael.

A cerimonia íntima e restrita contou apenas com os familiares e amigos próximos de Paulo, como seu marido, o médico dermatologista Thales Bretas, a mãe Déa Lucia, e a irmã Juliana Amaral.

Já entre os amigos famosos dele estavam Preta Gil com o marido, Rodrigo Godoy, Tata Werneck, Rafael Vitti, Ingrid Guimarães, Monica Martelli, Samantha Schmütz, Carol Trentini, Marcus Majella, Heloísa Perissé, entre outros.

Algumas personalidades que não comparecem no crematório, como Angélica, Luciano Huck, Fábio Porchat e Regina Casé, enviaram coroas de flores em homenagem ao amigo.

Local onde Paulo Gustavo morou por 35 anos, Niterói serviu de cenário para as locações do principal sucesso da carreira do ator: o filme Minha Mãe é uma Peça, onde Paulo Gustavo interpretou a cativante Dona Hermínia.

Apesar de os fãs não poderem participar da cerimônia de despedida, em decorrência da pandemia de Covid-19, muitas homenagens foram realizadas nos últimos dias. Alguns admiradores de Paulo Gustavo deixaram flores na porta do hospital onde ele ficou internado por quase dois meses.

Já na noite de quarta-feira (5), muitas cidades participaram de um “aplaudaço”, ato que foi organizado pela internet, como forma de homenagear o artista.

Após a cerimônia, vários amigos e familiares, todos usando camisas com o rosto do ator, se reuniram ao ar livre para uma foto em homenagem a Paulo Gustavo, que antes de ser intubado assumiu medo de não conseguir ver os filhos crescerem.

Polícia Federal deflagra Operação BACKGROUND

Polícia Federal em Pernambuco deflagra Operação BACKGROUND de combate à prática de crimes tributários, financeiros, contra a organização do trabalho, de fraude à execução, de lavagem de dinheiro e de constituição de organização criminosa.

A Polícia Federal em Pernambuco deflagrou na manhã de hoje (05/05/2021), a Operação Background com a finalidade de dar cumprimento a 53 (cinquenta e três) mandados de busca e apreensão, além do sequestro e bloqueio de bens e valores de investigados, todas as ordens determinadas pelo Juízo da 4ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco.

Ao todo, mais de 240 Policiais Federais cumprem as medidas judiciais nos Estados de Pernambuco, São Paulo, Amazonas, Pará e Distrito Federal.

A investigação, que conta com o apoio da Receita Federal do Brasil e da Procuradoria Regional da Fazenda Nacional – 5ª Região, apura a prática de crimes tributários (art. 1º, I, e art. 2º, II, da Lei nº 8.137/90), financeiros (art. 16 da Lei nº 7.492/86), de fraude à execução (art. 179 do Código Penal), contra a organização do trabalho (art. 203 do Código Penal), de organização criminosa (art. 2º da lei 12.850/2013) e de lavagem de dinheiro (artigo 1º da Lei 9.613/98), por parte de integrantes de um dos maiores Grupos Empresariais do Nordeste, com atuação em âmbito nacional.

Os investigados se organizaram em um sofisticado esquema contábil-financeiro para desviar o patrimônio das empresas do grupo, transferindo-o para os seus sócios e interpostas pessoas (“laranjas”), com a finalidade de elidir tributos e direitos trabalhistas de centenas de empregados, causando um prejuízo aos cofres públicos e aos trabalhadores apurado em aproximadamente R$ 8.644.641.483,69 (oito bilhões, seiscentos e quarenta e quatro milhões, seiscentos e quarenta e um mil, quatrocentos e oitenta e três reais e sessenta e nove centavos).

Além da colheita de elementos de materialidade e indícios de autoria, a equipe de investigação busca, nessa fase do trabalho de apuração, recuperar o patrimônio desviado e ocultado pelos investigados, com o objetivo não só de reparar o dano patrimonial causado aos cofres públicos, através dos débitos tributários já constituídos, mas principalmente, liquidar os créditos trabalhistas de centenas de empregados do Grupo Empresarial.

Com grande parte de suas atividades paralisadas após o esvaziamento patrimonial criminoso, as empresas do grupo investigado deixaram centenas de trabalhadores sem receber salários e outros direitos trabalhistas, sendo um dos objetivos da investigação permitir que essas famílias de trabalhadores recuperem os seus direitos por meio da Justiça do Trabalho, que inclusive já os reconheceu formalmente.

O nome da operação faz referência à forma de ocultação patrimonial empregada pela organização criminosa, criando empresas paralelas, com sócios aparentes, para receber o patrimônio do grupo empresarial, com a finalidade de impedir o pagamento dos créditos trabalhistas e tributários, garantindo que o patrimônio permaneça com seus gestores – Background – conjunto de condições que omitem a realidade.

Morre ator e humorista Paulo Gustavo, vítima da Covid-19

O ator e humorista Paulo Gustavo morreu no Rio nesta terça-feira (4), aos 42 anos, de complicações da Covid-19.

O criador de Dona Hermínia — e de outros personagens inesquecíveis — estava internado desde 13 de março no Hospital Copa Star, em Copacabana, na Zona Sul.

A piora no quadro de saúde do ator aconteceu na noite de domingo (2). Paulo Gustavo vinha apresentando melhoras significativas, chegou a ter redução de sedativos e bloqueadores e interagir com médicos e também com o marido, Thales Bretas. À noite, no entanto, sofreu uma embolia pulmonar.

Nesta terça, novo boletim disse que o ator estava com quadro irreversível, mas mantinha os sinais vitais. Às 21h12, no entanto, foi constatada a morte de Paulo Gustavo.

Com informações do G1

Foto: reprodução/internet

A nova estratégia do AliExpress: descontos de até 99% e entrega em 15 dias

Foto: Divulgação/Folha de Caruaru
Gigante global do e-commerce aposta na tripé inovação, atendimento ao cliente e logística aprimorada para deixar o status de ‘demora na entrega’ para trás.

É difícil não ter ouvido falar sobre o AliExpress nos últimos anos. Fundado em 2010 — e há onze anos no Brasil — o marketplace faz parte do grupo Alibaba e é vista como um dos principais e-commerces da China e o principal oponente da Amazon em escala global. Com foco em crescimento contínuo no país, a empresa de varejo investe em inovação para gerar descontos e na melhora dos prazos de entrega para se aproximar cada vez mais do consumidor brasileiro. 

Em relação ao primeiro ponto, o investimento mais recente da empresa será realizado no social commerce (vertente do e-commerce em que os usuários ajudam uns aos outros na hora de comprar on-line). No início de maio, isso será feito por meio da nova ferramenta, chamada “Pechincha”, disponível no site e app. 

A lógica por trás da novidade é a seguinte: ao acessar esse “menu”, usuários poderão encontrar uma série de produtos, de diferentes categorias — o foco é em produtos que gerem alto desejo dos consumidores, segundo a empresa. Ao clicarem nos produtos, os usuários terão acesso a um link, que poderão divulgar a amigos e parentes e ganharem descontos. 

Brasil: Bruno Covas se licencia do cargo de prefeito da cidade de São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), vai se licenciar do cargo para se dedicar ao tratamento de um câncer no sistema digestivo com metástase óssea. O vice-prefeito, Ricardo Nunes (MDB), assumirá a maior prefeitura do país. As informações foram divulgadas neste domingo (2) pelo jornal Folha de S.Paulo.

Covas, de 41 anos, deixou o hospital na semana passada, e está sendo medicado em casa. Sua condição é considerada delicada pelos médicos que o atendem. Ele tem recebido alimentação venosa. O gestor foi tratado com quimioterapia e imunoterapia, mas a doença avançou no começo deste ano.

Queda de cabelo como nova sequela da COVID-19: o que causa e como tratar

Tem se tornado cada vez mais frequente a queda de cabelo em pacientes que tiveram a COVID-19. Embora cada pessoa reaja de uma forma diferente ao vírus, algumas sequelas em comum podem ser observadas, que caracterizam a doença, como a falta de ar, a perda do olfato ou paladar, por exemplo. Além desses, outro sintoma tem sido muito presente em relatos dos pacientes que foram infectados pelo coronavírus: a queda de cabelo.

De acordo com a dermatologista credenciada ao Cartão São Gabriel, Dra. Tereza Cristina, a inflamação causada pela COVID-19 é a causa desta consequência da doença. “A COVID-19 dá queda de cabelos por ser uma doença sistêmica, ou seja, que atinge todo o organismo, e por ser também uma doença inflamatória, que enfraquece os folículos pilosos, onde são formados os cabelos. Eles ficam um período maior na fase telógena, que é quando ocorre a queda para a troca dos fios. Essa queda ocorre entre dois e três meses após a pessoas ter tido a doença, tendo uma queda significativa com a redução do volume dos cabelos”, explicou.

A dermatologista também destaca o que é preciso fazer para conter essa queda capilar e fortalecer o cabelo para que ele volte a crescer. “Se o paciente apresenta esse sintoma de queda de cabelos, deve procurar se alimentar da melhor forma possível e procurar um dermatologista para fazer o tratamento adequado. O processo é completamente reversível, com medicações estimuladoras do crescimento, inibitória da queda e anti-inflamatórias, prescritas pelo dermatologista”, concluiu.

Brasil atinge marca de 400 mil mortes pela Covid-19

A tragédia da Covid-19 no Brasil não é visível apenas na impressionante marca, atingida nesta quinta-feira (29), de 400.021 óbitos, segundo o consórcio dos veículos de imprensa. Em meio a falta de vacinas e um governo questionado em CPI por sua ação na pandemia, o peso do novo coronavírus sobre o sistema de saúde também surge em outro indicador — uma em cada cinco mortes notificadas no país (21,7%) desde março do ano passado é decorrente da doença.

O índice foi calculado a partir de dados da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen), entidade que representa todos os cartórios do país. A primeira morte provocada pela pandemia, segundo registros oficiais, ocorreu no dia 17 de março do ano passado. Desde aquele mês, o Brasil contabilizou 1.843.281 óbitos totais. A associação assinala que os cartórios são responsáveis pelo fornecimento de dados — e o número, portanto, pode estar defasado — mas a relação de um quinto deve permanecer.

Fonte: O Globo

Polícia prende suspeito de assassinar Caruaruense em João Pessoa

A Polícia Militar prendeu na noite desta terça-feira (27) Jonathan Henrique dos Santos, de 23 anos, principal suspeito de cometer o assassinato de Patrícia Roberta, de 22 anos. Ele foi encontrado no bairro de Mangabeira 3. A polícia tinha emitido o anúncio de “procurado”. De acordo com a polícia, ele teria encontrado com a jovem de Caruaru, na sua casa, em João Pessoa, na última sexta-feira (23).

Mais cedo a Polícia tinha prendido um homem que teria ajudado Jonathan a esconder a moto, possivelmente usada no crime. Moradores tentaram agredir ao suspeito, que foi conduzido à delegacia.

Foi pedida pela justiça a prisão preventiva dele. O corpo de Patrícia foi encontrado na tarde desta terça-feira (27) em avançado estado de decomposição em uma mata próxima a um condomínio em João Pessoa enrolado em um saco plástico com fitas adesivas. Por conta do estado do corpo, a perícia informou que não se pode afirmar se houve luta corporal.

A hipótese inicial é de que ela tenha sido morta por asfixia, por sufocação direta ou por estrangulamento.

Da Rádio Cidade

Armando Monteiro: “adiamento do Censo revela inversão de prioridades”

Em suas redes sociais, o ex-senador Armando Monteiro (PSDB) critica o adiamento do Censo 2021. Para ele, a decisão revela a insensibilidade e inversão de prioridades do Governo Bolsonaro.

Veja o que afirma Armando:

O adiamento do Censo 2021 é algo revelador da insensibilidade e da inversão de prioridades do Governo Bolsonaro. Ou será temor da nova fotografia do País, cujas condições socioeconômicas foram extraordinariamente agravadas nos últimos anos pela inépcia do governo e pelos efeitos da pandemia? O Brasil precisa mais do que nunca conhecer-se melhor nestes novos tempos.

Foto: divulgação

Morre radialista e cronista esportivo, Guilherme Andrade, vítima da Covid-19

Morreu na tarde desta segunda-feira (26), em Caruaru, Agreste de Pernambuco, vítima da Covid-19, o radialista e cronista esportivo Guilherme Andrade.

Em Caruaru, Guilherme trabalhou por diversas rádios, a exemplo da Caruaru FM, Nova FM e por último estava na Rádio Cultura.

Estava ocupando o cargo de secretário de comunicação no município de Saíre.

Guilherme tinha 45 anos.